Texto Maior
Texto Maior
Texto Maior
Texto Menor
Texto Menor
Texto Normal
Texto Normal
Contraste
Contraste
Libras
Libras
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Acesso à informação
Acesso à informação

Paraguaçu Paulista, Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020 Telefone (18) 3361-9100

Atendimento Atendimento: Atendimento ao público, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h30 às 11h30 e das 13 horas às 16h30.

Quin
06/08
27 °C
9 °C
Índice UV
7.0
Sext
07/08
27 °C
9 °C
Índice UV
7.0
Sáb
08/08
27 °C
10 °C
Índice UV
7.0
Domi
09/08
29 °C
11 °C
Índice UV
7.0

Educação - Sexta-feira, 09 de Novembro de 2018

Notícias por Categoria

Porque o Auxiliar de Vida Escolar, o AVE, é necessário para a inclusão


Assessoria de Comunicação da Prefeitura – Silvana Paiva

 

09/11/2018

 

Imagine uma escola receber alunos cadeirantes ou com capacidade de mobilidade reduzida. Como a escola assistiria alunos com essas especificidades? Imagine também alunos com deficiência visual ou auditiva. Como atendê-los? E alunos com deficiência intelectual ou múltipla? Como lidar com essas particularidades? Estes fatos tornam clara a necessidade de apoio especializado para condução de situações como estas.

 

É fato rotineiro as escolas receberem alunos com necessidades educacionais especiais. Neste ponto, o desafio se expande. Isso devido à variedade de necessidades que estes alunos podem apresentar, ora físicas, ora psicológicas ou ainda de outras naturezas. Neste momento, o professor, a escola, procuram ajuda em profissionais com habilidade e treinamento em atendimentos destas naturezas: são os Auxiliares de Vida Escolar – AVEs.

 

Atualmente, a rede municipal de Educação de Paraguaçu Paulista conta com 105 auxiliares de vida escolar, que contribuem e enriquecem o atendimento nas escolas. O trabalho de inserção do especialista em necessidades educacionais especiais é conjunto, exige a participação de todos os membros da educação. Nesta ótica, pode-se pensar também na família como importante aliada na implementação de medidas de apoio aos seus membros com deficiência. Ela poderá fornecer informações sobre a rotina do aluno, suas principais necessidades, seus limites, suas possibilidades, o que contribui para o sucesso da aprendizagem dos necessitados de apoio especializado.

 

O AVE tem ainda capacitação também especializada, atualizada regularmente pelo Departamento Municipal de Educação no decorrer do ano, para atender às peculiaridades da clientela de educação especial. Esses especialistas em inclusão recebem orientações e capacitações no tocante às suas funções com profissionais do Setor de Apoio ao Educando, com os profissionais da Supervisão da Educação Infantil, com médica pediatra, com agentes de saúde, com profissionais da Supervisão de Transporte Escolar, com profissionais do Corpo de Bombeiros e do Instituto Renovo.

 

O clima na escola deve estar propício ao sucesso da aprendizagem dos necessitados de apoio especializado. Por isso, entre as funções que os AVEs desempenham, as de maior relevância para garantir uma educação municipal de qualidade, são a alocação de 22 auxiliares de professores nas salas de berçários e maternais; de 13 monitores de transporte escolar e especial; de 42 acompanhantes de alunos portadores de necessidades educacionais especiais; de 10 auxiliares volantes que prestam apoio escolar na Pré Escola; de 18 auxiliares que monitoram entrada e saídas dos alunos, que dão apoio na hora da higiene e alimentação e que auxiliam nas atividades diárias.

 

A prefeita Almira Garms salienta que um aspecto importante e sempre lembrado nas capacitações dos AVEs, oferecidas pelo Departamento de Educação, é sobre não ignorar o aluno. “É possível que, no meio do caminho, o profissional se depare com uma situação inesperada ou tenha de lidar com uma deficiência que desconhece. Nesses casos, ele deve buscar apoio na gestão escolar e procurar formação adequada”, destacou a prefeita.

 

O AVE atende ao exposto pela Lei Municipal nº 13.146, de 6 de julho de 2015, no artigo 28, que incumbe ao Poder Público assegurar, criar, desenvolver, implementar, incentivar, acompanhar e avaliar a oferta de profissionais de apoio escolar para a inclusão da pessoa com deficiência.

 

 

Antes de ter o AVE, a Educação de Paraguaçu Paulista contava com os professores generalistas, que não precisavam ter nenhuma especialização para atuar com alunos especiais, o que acabou sendo apontando pelo Tribunal de Contas como “excesso de contingente” na área da educação.

 

“Excesso de contingente” é um termo técnico do Tribunal de Contas quando existe um excesso de pessoas em relação a um determinado número de vagas avaliadas como ideais para a situação. Na Educação de Paraguaçu, a solução foi a extinção do cargo de professor generalista e abertura de concurso para contratação do Auxiliar de Vida Escolar, o AVE.

 

FOTO 01

 

São 22 AVEs que auxiliam os professores nas salas de berçários e maternais

 

FOTO 02

 

São 13 AVEs monitores de transporte escolar e especial

 

FOTO 03

 

São 42 acompanhantes de alunos portadores de necessidades educacionais especiais

 

FOTO 04

 

São 10 AVEs volantes que prestam apoio escolar na pré escola

 

FOTO 05

 

São 18 auxiliares que monitoram entrada e saídas dos alunos

 

FOTO 06

 

Os AVEs dão apoio na hora da higiene e alimentação

 

FOTO 07

 

Os AVEs auxiliam nas atividades diárias (Fotos: Departamento de Educação/Cedidas)

FacebookTwitterWhatsAppImprimir

Voltar para a listagem de notícias

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ACOMPANHE-NOS

UNIDADES FISCAIS

Fique por dentro dos índices - ver todas

Nenhuma unidade fiscal cadastrada no momento!